A confirmação de um novo tempo em minha vida ministerial

O simbolismo do barco quando falamos de ministério dentro e fora de uma igreja ao meu ver, é muito importante. Na bíblia nos livros de Mateus, Marcos, Lucas e João, vemos muitos relatos das inúmeras vezes que Jesus e os díscipulos pegavam seus barquinhos e iam de cidade em cidade levando palavras de vida e salvação. Em Atos vemos também vários momentos dos díscipulos viajando por todas as partes levando boas novas, ou seja, levando a Jesus.

Sempre tive a plena convicção de que as artes era, é e sempre será meu chamado ministerial, isso começou lá atrás na minha infância, Deus já tinha grandes projetos que até então não podia ver. Na caminhada cristã sempre senti necessidade de não ficar parado na igreja e isso foi muito bom. Fui recepcionista, back vocal, dançarino, líder de comunicação, entre outros trabalhos voluntários que me trouxeram alegria e satisfação, aprendi muito em todos eles, se estive envolvido nestas áreas é porque havia realmente um próposito ou uma necessidade naquele tempo.

Mas foi em junho de 2007 que nasceu um grande sonho, tanto da Igreja do Nazareno Rosolem, como em minha vida, a formação de um grupo de teatro, que passou oficialmente a ministério formado, hoje com cerca de 14  pessoas juntamente com uma diretoria organizada para os trabalhos 2011. Em 2009 dentro deste contexto de desafios oportunos e sempre a necessidade de um relacionamento mais profundo de Deus, nasceu o convite de ajudar no II Congresso de Missões: Clamor pelo Mundo. Daquele dia em diante minha vida mudou e Deus me deu uma nova visão da vida cristã. Missões me mostrou um mundo que eu não conhecia a fundo, observei muito mais necessitados do que imaginamos e uma forma surpreendentes de levar o Evangelho, me doei com amor e profundidade assim com em outros ministérios; como jovem solteiro mergulhado na obra e em busca dos sonhos de Deus para mim.

Em 2010 os sonhos de Deus um a um foram chegando em minha vida, na área espiritual, profissional, escolar e principalmente emocional, o Senhor me dera um grande amor. Não daria para contar todas as bençãos do Pai, foram grandes e únicas.

Os testemunhos são grandes e demorados, uma enorme família, grandes amigos, grandes realizações ministeriais, responsabilidades de todas as partes. Começei a me sobrecarregar de tantas coisas e funções ao mesmo tempo, ainda tendo que conciliar a vida pessoal, tendo que lidar constantemente com variações de humor ou personalidades diferentes de pessoas. A misercórdia de Deus é tremenda porque os trabalhos de teatro e outros aconteceram pelo amor do Pai em nós, pelo agir do Espírito Santo, por fazermos a vontade de Deus e não a nossa.

No final de 2009 vinha pensando na possibilidade de deixar a MNI Rosolem para me dedicar inteiramente ao teatro, para que o "Aliança" estivesse sempre preparado para quando for solicitado. Porque pedir ou cobrar é fácil, mais difícil é estar dentro e conhecer a fundo as dificuldades ou limitações de cada um. Foi então que meu nome foi cogitado as eleições de junta de liderança, como secretário de missões, crendo eu que era de Deus esse desafio, aceitei e fui eleito. Porém, dentro de mim havia incertezas e falta de paz, era mais responsabilidades e mais uma vez estava colocando o teatro em segundo plano, como líder não poderia fazer isso, mesmo insistindo incansávelmente por tentar conciliar as duas coisas.

Fui eleito mais não estava feliz e havia um grande peso em mim. Em 12 de janeiro de 2011 após uma intensa e cansativa reunião de liderança da MNI Rosolem, entendi claramente naquela noite que não tinha um chamado missionário e vou explicar porque. A palavra missionário é forte só de pronunciar, o missionário deixa tudo, abre mão de muitas coisas, mesmo que haja um tempo certo pra isso. A preocupação com o relógio não é regrada, ele tem um chamado, algo profundo a cumprir. Era preciso quase 2 anos de missões intensas em minha vida, para que eu tomasse posição de verdadeiro cristão, de parar de guardar o Evangelho só para mim como se fosse um egoísta. Missões me abriu visões e portas espirituais, tenho sonho de ser pastor num tempo determinado, ter minha família, filhos, uma profissão e viver dela, dentro de tudo isso ser um grande líder de teatro, reconhecido e respeitado, mais acima de tudo o nome de Jesus Cristo sendo glorificado, exaltado sempre e sempre até a sua vinda.

É preciso ser feito algo, é necessário sair das quatro paredes, o templo. Mais para isso, até a forma de como novos desafios serão realizados por uma equipe, precisa ser feito com prudência, respeito, comum acordo entre pessoas e o Espírito Santo. Por mais que exerçamos funções missionárias, ainda creio que a palavra missionário é muito forte para ser usada de qualquer maneira e ninguém tem o direito de dizer que outro é ou será, pois Deus, o Pai é quem confirma isso. Não podemos negligenciar a obra de Deus, me considero talvez o jovem mais feliz do mundo, pois tudo que fiz e faço em minha vida até hoje é com muito amor, nunca aceitei fazer nada por obrigação ou como um fardo.


Os primeiros dias de janeiro de 2011 foram se passando e crescendo dentro de mim certezas por um lado e insatisafações do outro. Ouvindo a voz do Pai fiz um "balanço ministerial" do Ministério de Teatro Aliança, o qual sou líder, dos anos de 2007, 2008, 2009 e 2010; Novo termo de compromisso, inscrições e a nova agenda MTA 2011. O Pai confirmando mais e mais de que era hora de fazer missões no ministério ao qual Ele me chamou lá atrás, há 4 anos dentro do teatro. Entreguei a liderança do Ministério de Comunicação e oficialmente após conversar com a vice-líder da MNI Rosolem e também do Pr. Isaque Gonçalves Machado, anuncio o meu desligamento das funções ministeriais dentro da MNI Rosolem. Deixando esclarecido que continuo a fazer a missões, evangelismos, dentro do que o Pai me chamou e a outros irmãos. Em sonhos, através de pessoas e da própria palavra como Mateus 6:33, Colosensses 2:8 e por fim Atos 15:36-41, Deus me deu muita paz e tranquilidade. Como cristãos não podemos deixar de fazer missões nunca, pois missões é o coração da igreja.

Em Mateus 28:19-20 vemos o chamado de Jesus a cada um de nós, cumprir o "IDE", ou seja, levar o evangelho. O MTA continuará a prestar apoio a MNI Rosolem normalmente, como também à igreja e demais ministérios, dentro das possibilidades de toda a equipe. Jesus está voltando amados e cresce a expectativa por mais da presença de Deus, pois sem Ele nada somos.

O Corpo de Cristo, a igreja que somos nós, não pode estar dividida, Jesus não está dividido. Devemos ser unidos sempre em amor, assim como o Pai nos amou e ama. Estou feliz com as decisões tomadas, é a plena certeza de ouvir a voz de Deus mais uma vez de forma tremenda, até aqui me ajudou o Senhor e louvo e agradeço ao Pai pela confirmação de um novo tempo em minha vida ministerial.

A todos os meus amados irmãos da MNI Rosolem e MTA o meu eterno amor, aqui nesta terra e na glória que há de vir, Jesus está vivo e viva está a sua missão dada a nós, levar sua palavra.

Para a glória de Deus.


Ministério de Teatro Aliança.
"Levando o Evangelho através da arte".

Por: Diego Pinto
Diretor Geral.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Luto: "Biel voltou para casa, voltou para o céu!"

LUTO: Neuza Garcia... Jesus vive! Você também vive!

Testemunho de cura: MATHEUS PIVATO - 4 ANOS - O SUPERMAN!