Santidade traz aceitação

Palavras Pastor Márcio Valadão:

A vontade de Deus é esta, a vossa santificação. Tudo na vida é uma escolha; o Senhor não nos obriga, mas aponta o caminho. Não vamos experimentar o sonho de Deus aqui na Terra, enquanto alimentarmos no coração qualquer sentimento de rejeição. A santidade traz aceitação.
Quando olhamos para a vida de Jesus, vemos que Ele foi rejeitado. Isaías, capítulo 53, verso 3 diz: “Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso”.
Jesus foi rejeitado para que pudéssemos ser aceitos. E o que nos faz ser aceitos é exatamente o fato de Ele ter assumido o nosso lugar, a nossa rejeição. Mesmo depois de fazer sinais, prodígios, maravilhas Jesus experimentou a rejeição.
Em Marcos, capítulo 6, verso 3, o Senhor é rejeitado, as pessoas diziam: Não é este o carpinteiro, filho de Maria, irmão de Tiago, José, Judas e Simão? E não vivem aqui entre nós suas irmãs? E escandalizavam-se nele”. Zombavam dele, escarneciam dele.
Muitas vezes as pessoas podem se entregar à rejeição, mas Jesus não é assim, Ele foi rejeitado, mas não se deixou abater. Às vezes, a rejeição faz com que as pessoas sejam consumidas pela dor emocional; esse não é o propósito do Senhor. Jesus foi profeticamente rejeitado pelos seus. João capítulo 1, verso 11, diz: “Veio para o que era seu, e os seus não o receberam”, o rejeitaram. Em Lucas 23.18, Jesus foi colocado diante da multidão e Pilatos perguntou: “Qual queres que vos solte, a Jesus chamado o Cristo ou Barrabás?” Barrabás era um homem vil, tinha cometido os piores crimes, e do outro lado estava Jesus, homem de dores. O que Ele havia feito? “Toda a multidão, porém, gritava: Fora com este! Solta-nos Barrabás!”Não pense que Jesus era imune, ele tinha sentimentos como nós temos. Ele chorava, se alegrava, dormia, se alimentava como nós. No meio daquela multidão certamente havia pessoas que foram curadas por Ele, recebido a vida, mas muitos gritaram: “Fora, fora… fora com este”.
Queremos muitas vezes confrontar aqueles que nos rejeitam, mas Jesus disse: “Quem me rejeita e não recebe as minhas palavras tem quem o julgue; a própria palavra que tenho proferido, essa o julgará no último dia”. Não cabe a nós julgar, entregue tudo para Deus. Devemos nos voltar para Ele. “Porque, se meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me acolherá” (Sl 27.10). Deus, o Pai, nos aceita, nos acolhe em seus braços, cabe a Ele julgar quem nos rejeitar.
Jesus foi crucificado numa cruz com os abraços abertos para que todos os homens pudessem saber que Ele pode acolher qualquer um que se aproximar dele. Deus conhece o seu coração e o inimigo muitas vezes tem alimentado circunstâncias e situações, colocado em sua vida pessoas que o rejeitaram e continuam rejeitando. Mas o Pai celestial o aceita. Fomos aceitos ali na cruz. Aceitar a Jesus é também ser aceito por Ele. As pessoas mais queridas da sua vida podem rejeitar você, mas Ele jamais o rejeitará. O valor maior não é o que as pessoas pensam sobre você, mas o que Deus pensa a seu respeito, e Ele o aceita.
A Bíblia diz que quando na cruz, Jesus tomou os nossos pecados, porque ele não conheceu pecado, se fez pecado por nós, Deus voltou o rosto e não contemplou o próprio Filho. E o grito de Jesus foi: “Por que me desamparastes?” O Senhor foi desamparado ali na cruz para que pudéssemos ser aceitos. Você e eu não precisamos mais carregar o fardo de uma vida longe do Senhor, porque somos aceitos, e ao tomar posse dessa bênção, toda rejeição não existirá mais, porque Deus nos amou de tal maneira que deu Seu único filho para pagar um alto preço por nós. Tome posse dessa realidade!
Deus abençoe!
Foto: Internet

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Luto: "Biel voltou para casa, voltou para o céu!"

Novo Logotipo da Igreja do Nazareno - entenda!

Vídeo em homenagem ao meu cunhado Roberto