Descobrindo El Shaddai


Adoração

Nívea Soares

Cantora, compositora, já gravou diversos CDs e DVDS. É membro da Igreja Batista da Lagoinha e lidera a “célula online”, grupo que se reúne para adoração a Deus e estudos da Bíblia.

Ser mãe tem sido uma das experiências mais intensas e maravilhosas que já vivi. Ter filhos é experimentar na íntegra o significado do amor, da doação, da renúncia do “eu” em prol de outro ser humano. É um amor que nasce, explode dentro da gente e se manifesta em ações diárias. Por um filho a gente perde noites de sono, a gente suporta a dor, a gente deixa de fazer o que gosta e o que nos é lícito, só para passar mais tempo cuidando de pertinho desses seres tão pequenos e dependentes.
À luz da intensidade do amor de mãe, o que Deus fez pelo ser humano se torna absolutamente profundo e intrigante. Se doar por um filho é compreensível, mas doar um filho por amar alguém (no caso, o mundo) é algo que não dá para alcançar na minha ótica de mãe.
Criar filhos dá muito trabalho. Filhos gêmeos então nem se fala! Mas cada olhar, cada sorriso, cada pequena descoberta delas me faz tão feliz! Sinceramente, não dá mais para imaginar a minha vida sem as minhas filhas. Daria a minha vida por elas, mas não consigo, nem de longe, conceber a ideia de entregar uma de minhas meninas à morte. Mas foi isso que Deus fez. Ele amou a humanidade com uma intensidade tal, que deu o que de mais precioso Ele tinha: a vida de seu Filho amado Jesus.
Como Deus preferiu a humanidade transgressora e perdida a despeito da vida de seu santo e perfeito Filho? Para nós não faz sentido. Isso é algo que se entende apenas sob a ótica eterna de Deus. O fato é que Deus Pai nos ama com a mesma intensidade com que ama seu filho Jesus, e não queria que vivêssemos eternamente separados da sua comunidade de amor (Pai, Filho e Espírito Santo). Ele sabia que seu amor era grande e poderoso o bastante para vencer os grilhões do pecado e da morte. Jesus, o filho amado de Deus, ressuscitou ao terceiro dia e tem toda autoridade no céu e na terra. Por causa de seu sacrifício perfeito nós fomos perdoados e somos também feitos filhos de Deus.
O amor de Deus foi capaz de romper as barreiras da eternidade para alcançar e resgatar o ser humano da miséria do pecado. Que privilégio desfrutar de um amor maior e mais perfeito que o amor humano. Ele é chamado de El Shaddai, o Deus Todo Poderoso, para gerar e nutrir todos os seus filhos.
“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome” (João 1.12).
Fonte: Lagoinha
http://www.lagoinha.com/ibl-colunista/descobrindo-el-shaddai/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Luto: "Biel voltou para casa, voltou para o céu!"

Novo Logotipo da Igreja do Nazareno - entenda!

Vídeo em homenagem ao meu cunhado Roberto