Entenda o Ebola e ore para que o vírus não se espalhe


A imprensa tem alardeado em todo o mundo a epidemia de Ebola, que está atingindo países do oeste africano (especialmente Guiné, Serra Leoa, Libéria e Nigéria). Mesmo longe desses países, nós brasileiros não estamos livres da possibilidade de contrairmos a doença, principalmente porque pessoas estão indo e vindo a esses países e com eles pode vir o vírus. Por isso, todo cuidado e conhecimento a respeito do assunto são necessários.
O Ebolavírus é responsável por um dos tipos de febre hemorrágica, uma doença que pode ter altas taxas de mortalidade, e que ainda não tem tratamento específico comprovado. A transmissão do vírus de uma pessoa para outra ocorre por meio de contato com sangue ou secreções contaminadas, isto é, saliva, vômitos, etc, e pode inclusive haver transmissão pós-morte, em que os fluidos corporais do cadáver podem contaminar quem estiver no velório (ainda mais que os rituais de morte nesses países africanos incluem contato da família com o corpo do morto). O vírus pode demorar de 2 a 21 dias para causar os sintomas da doença.
Suspeita-se de que uma pessoa esteja com Ebola quando apresenta: febre, dor no corpo e nas articulações, dor de cabeça, cansaço, perda do apetite, vômitos, diarreia e sangramentos (na gengiva ou nasal, hematomas na pele, sangue nas fezes, etc) e tenha estado em um dos países em que a doença está epidêmica ou tido contato com alguma pessoa doente por Ebola, nos últimos 21 dias.
O tratamento consiste em alívio dos sintomas e controle das hemorragias. Ainda não existe medicamento eficaz, mas essa semana, dia 12 de agosto, a Organização Mundial de Saúde (OMS) autorizou o uso de um medicamento ainda de ação não comprovada, para tentar diminuir o número de óbitos. Mais de 1.800 pessoas já contraíram a doença em 2014 e mais de 1.000 morreram. Infelizmente, ainda não existe vacina contra o Ebola. Segundo a OMS, não há motivo para pânico mundial, já que a epidemia está em uma única região da África. Porém, os voos para os quatro países africanos supracitados estão sendo cancelados e muitos estrangeiros que moravam na região estão se retirando. Alguns missionários foram contaminados (não brasileiros) e um padre espanhol faleceu. O Ministério da Saúde do Brasil divulgou o plano de ação para o caso de surgirem casos suspeitos. Em Belo Horizonte, o Hospital de referência é o Eduardo de Menezes.
Como Igreja, devemos clamar ao Senhor por proteção para os missionários, salvação desse povo tão sofrido e que cesse a epidemia.
Fotos: Internet
:: Dra. Ana Rute Bloch – Ministério Lucas
FONTE LAGOINHA
http://www.lagoinha.com/ibl-vida-crista/entenda-o-ebola-e-ore-para-que-o-virus-nao-se-espalhe/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Luto: "Biel voltou para casa, voltou para o céu!"

Vídeo em homenagem ao meu cunhado Roberto

Novo Logotipo da Igreja do Nazareno - entenda!