Entre a alegria e a tristeza! Um desabafo pessoal...

Foto: Internet

Hoje decidi escrever sobre algo muito intimo e pessoal, confesso que o título desta postagem vinha martelando em minha mente faz dias. Depois de tanto tempo sem escrever, quero ser breve mas ao mesmo tempo descrever, desabafar, sobre algo que tenho vivido.

Em primeiro lugar quero agradecer a Deus pela vida que tenho e por tudo o que já vivi até aqui, desde os momentos mais difíceis aos mais felizes, hoje percebo que nunca e em nenhuma hipótese estive sozinho, Deus jamais me abandonou, Deus sempre colocou pessoas em minha vida para de alguma forma me abençoar. Quero glorificar a Deus por todas as bençãos recebidas, pela minha saúde, pelas vestes, pelo alimento, por meu trabalho, por toda minha família, minha linda esposa e por nosso filho amado. Se eu fosse dedicar esta página para agradecimentos ao Pai por seu cuidado, zelo, bondade, fidelidade, perdão e misericórdia, ficaria escrevendo infinitamente. Repito: Deus, meu amado Pai, obrigado por tudo o que tenho e sou! Temos que ter um coração grato em todo o tempo, reconhecer o que Deus é significa em nossas vidas, o Senhor nunca estará longe de nós!

Há um pouco mais de 4 meses vivi algo terrível que nunca pensei que passaria, sabemos que na vida estamos sujeitos a todas as situações e perdas são inevitáveis. Em dezembro de 2014, vinte dias após o nascimento do meu filho, perdi meu irmão Cristiano num trágico acidente de carro, ocorrido no dia 06/12 em Santa Cruz de Cabrália, onde além dele morreram mais 3 pessoas. Num ato impensado, insano, ou talvez sem explicação, após sofrerem um assalto resolveram entrar numa perseguição contra os bandidos e no fim quem perdeu a vida foram os inocentes. Não estamos livres das tragédias e acidentes, mas precisamos correr para o lado contrário, tentar evitar ao máximo, pedir a Deus que nos livre. Mas a realidade dura e cruel, é que tudo isso aconteceu e perdi o meu chão, perdi uma das pessoas que mais amava, alguém por quem guardava meu carinho, meu amor e lembranças tão intimas nossas, momentos nossos. Não tem sido nada fácil pra mim, enfrentar algo assim mesmo com toda a fé que digo ter. Tem dias que vem na minha mente fleches do dia em que tudo aconteceu, é como se eu revivesse cada segundo daqueles dois dias tenebrosos, é como se eu pudesse ouvir, viver, tudo novamente. Respiro fundo, oro a Deus, peço que tire esses pensamentos, que me cure e me console da tristeza, mas fico sempre entre a alegria e a tristeza. A alegria por tudo aquilo que Deus tem feito por mim, pelo seu cuidado comigo e com minha família, por outro lado vem a tristeza por não poder matar a saudade do meu irmão com um simples telefonema como fazíamos.

Na vida precisamos aprender a lidar com as alegrias e as tristezas, talvez eu esteja aprendendo isso!
As vezes eu queria me sentir forte como meu pai, como minha irmã e meu outro irmão, afinal, a vida sempre segue para quem está vivo, para quem tem sonhos! Hoje somos 3 irmãos, mas sempre seremos 4, até o fim de nossas vidas.

Sou muito família, sou muito sentimental e apegado com as pessoas. Eu sendo o caçula sempre tive um apego grande com meus irmãos mais velhos, ou seja, o baque foi total! Não quero que ninguém tenha pena de mim, mas acho que estaria mentindo se dissesse que estou completamente bem, as vezes é tão difícil rir quando na verdade queríamos um abraço, um colo pra chorar, mesmo assim não tenho me entregado a tristeza, tenho lutado com todas as forças para ficar e estar bem. Não estou depressivo e não pretendo ficar, este é um momento, um período, que creio que com o tempo e com a ajuda de Deus irá melhorar.

Se eu bem me conheço sei que enquanto eu estiver vivo nunca esquecerei meu irmão, meu Dano, meu amigão. A saudade tem machucado bastante! Ao lado de Dano vivi momentos únicos, incríveis, que me deixaram marcas, sempre que precisei do meu irmão ele estava lá, como um pai, me recordo do seu carinho comigo, do seu amor, da sua sincera amizade, eu sei que este Cristiano que todos conhecemos de um coração enorme, de um sorriso lindo, alegre, brincalhão, permanecia (ainda que escondido as vezes vivendo seus dilemas pessoais) e permanecerá vivo. Eu poderia escrever aqui um livro sobre o que tenho sentido... de quando montei a primeira vez num cavalo, de quando dirigi um carro pela primeira vez, de quando pilotei uma moto bis pela primeira vez, em todos esses momentos ele estava lá, me dando segurança, me dando força, me fazendo sentir que eu era de fato importante! Me lembro das nossas conversas, nossas risadas, dói muito leitores saber que tudo isso ao mesmo tempo que se foi, ainda permanece em mim.

Àqueles que são homens e mulheres de oração, eu peço: orem por mim! Peço oração por tantas pessoas, hoje quero pedir por mim mesmo e compartilhar um pouco do que tenho sentido, alegria e tristeza (desculpem mas não consigo sentir outra coisa que não seja tristeza em saber que perdi meu irmão, alguém que tanto amo, por desejar que tivesse tido também uma outra história de vida, mais feliz).

Termino deixando registrado aqui o meu amor por minha esposa Thaís que é conhecedora das minhas dores, minha companheira que tão pacientemente tem cuidado de mim com um amor incondicional, eu te amo minha princesa. Você e o nosso príncipe são tudo pra mim hoje.

Termino deixando registrado: Dano o meu amor por você é eterno meu irmão! Que Deus esteja cuidando de você pra nós e que um dia estejamos juntos diante do Senhor, desfrutando da verdadeira alegria, da verdadeira vida! A saudade é muito grande, sempre vou amá-lo.

Diego Pinto Santos.






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Luto: "Biel voltou para casa, voltou para o céu!"

Novo Logotipo da Igreja do Nazareno - entenda!

Vídeo em homenagem ao meu cunhado Roberto