Cantareira volta a ser o principal sistema produtor da Região Metropolitana de São Paulo

12/02/2016 às 12:00
Sistema Cantareira
Em janeiro, o Cantareira retomou o posto de principal sistema produtor de água da Região Metropolitana de São Paulo, que havia perdido para o Guarapiranga em março do ano passado devido à estiagem.
Hoje, o Cantareira atende aproximadamente uma população de 5,7 milhões de pessoas e o Guarapiranga, 5,2 milhões. Antes da estiagem, em dezembro de 2013, esses sistemas abasteciam, respectivamente, 8,8 milhões e 3,9 milhões de clientes.
Os seis principais sistemas que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo fecharam janeiro de 2016 com um acréscimo de 181,1 bilhões de litros de água de água na comparação com dezembro de 2015, totalizando 884,55 bilhões de litros, uma alta de 25,7%.
Essa alta nos reservatórios aconteceu em um mês de boa quantidade de chuvas. Para se ter uma ideia, em janeiro passado a entrada de água nas represas no Cantareira foi de 73,8 mil litros por segundo, acima da média histórica para o mês, que é de 70,9 mil litros por segundo. Em janeiro de 2015, a afluência foi de 11,5 mi llitros por segundo nesse sistema.
Bônus – A melhora na situação dos mananciais também se deve ao Programa de Bônus, iniciativa importante para estimular o uso racional da água. Em janeiro, a adesão da população da Grande São Paulo foi de 77%, mantendo o mesmo percentual registrado no mês anterior.
No total, a economia de água feita pelos moradores atendidos pela Sabesp fez com que a companhia deixasse de retirar no mês passado 5,7 mil litros por segundo das represas que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo. O volume economizado é suficiente para abastecer cerca de 1,83 milhão de pessoas, correspondente às populações somadas das cidades de Sorocaba, Osasco e Ribeirão Preto, aproximadamente. Ou seja, em todo o mês de janeiro, a população poupou mais de 14,8 bilhões de litros de água. Para se ter uma ideia do quanto isso representa, esse volume equivale quase à capacidade total do Sistema Alto Cotia.
Estação de Tratamento do GuaraúDos 77% que reduziram o gasto de água em dezembro, 65% efetivamente ganharam o bônus, enquanto os demais 12% diminuíram o consumo, mas não o suficiente para receber o desconto na fatura da Sabesp. Considerando todos os clientes que receberam bônus no mês passado, 55% reduziram o consumo em mais de 20% (faixa de bonificação de 30%), 5% diminuíram o uso entre 15% e 20% (faixa de bônus de 20%) e outros 5% tiveram um gasto de água entre 10% e 15% menor e ganharam bônus de 10%.
Já a parcela de clientes que aumentaram o consumo foi novamente de 23%, dos quais 14% pagaram sobretaxa. Os outros 9 pontos percentuais não receberam o ônus porque consumiram o volume mínimo de 10 mil litros mensais.
Mesmo com o período de chuvas, a Sabesp destaca a importância da população se manter comprometida com a economia e o uso racional da água, de forma a garantir a recuperação gradual do nível dos reservatórios após a estiagem de 2014, a maior registrada em mais de 80 anos na Região Sudeste.

Fonte: SABESP
http://site.sabesp.com.br/site/imprensa/noticias-detalhe.aspx?secaoId=65&id=6845

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Luto: "Biel voltou para casa, voltou para o céu!"

LUTO: Neuza Garcia... Jesus vive! Você também vive!

Testemunho de cura: MATHEUS PIVATO - 4 ANOS - O SUPERMAN!