Do luto à luta! - parte 2

Imagem: Wallpapers Cristãos

...CONTINUAÇÃO...

Eu realmente pensei que não suportaria tamanha dor, a perda de alguém tão amado, meu irmão Cristiano, foi quase que insuportável. Na postagem anterior compartilhei com vocês o princípio de tudo, o momento da perda, os conflitos, toda a tristeza causada em mim, na minha família, o abalo da minha fé no momento em que mais deveria ter sido forte, reconheço minha fraqueza.
Não sei se você assim como eu já passou por algo parecido ou está passando, mas quero deixar aqui uma palavra de consolo: Deus está no controle de todas as coisas, mesmo quando achamos que não. Quando desejamos que a nossa vontade prevaleça.

Sei que nunca esquecerei o que vivi/vivemos, mas hoje me sinto mais confortado pelo Espírito Santo de Deus e desta forma posso falar, me expressar, sobre esta experiência. No dia 07 de dezembro de 2014 saímos de Campinas rumo a Porto Seguro, momento de despedida, de lágrimas, uma das coisas mais difíceis da minha vida, uma viagem triste que tivemos de fazer as pressas, eu, mamãe e Juliano meu irmão. Olhávamos um ao outro como se fossemos protagonistas de um terrível pesadelo, fomos marcando os aeroportos com nossas lágrimas, é como se o vento nos empurrasse a caminhar. Uma frase marcou os instantes antes de aterrissarmos no nosso destino, a voz do piloto do avião narrando o clima daquele dia: "Céu nublado em Porto Seguro, muitas nuvens, um dia incomum!". Estava mesmo sendo um dia incomum, nossa cidade chorava a perda do meu Dano e isso se revelou na chuva que caiu a noite, horas depois de termos nos despedido pela última vez. Poderia relatar com detalhes cada instante daquele dia, mas prefiro deixar guardado nas lembranças, pois não são momentos alegres e bons de serem recordados, afinal, todos sabem como é um velório.

Ali na sala da minha irmã durante a noite, todos deitados entre suspiros e outros a ficha começava a realmente cair. A verdade é que a morte vem para todos, sejam crianças, adolescentes, jovens, adultos, velhos e nós seres humanos é que temos problemas com isso, Deus não. Um dia ouvi meu querido pastor Isaque dizer algo que muito me marcou: "Para Deus a morte e a vida são mesma coisa!". É exatamente assim. Hoje entendo por mais que ainda doa, que Cris cumpriu sua jornada, passagem rápida e muito marcante, queríamos muito mais dele aqui.

Neste post quero destacar o momento em que a ficha cai e derrete todo o nosso ser. O período do luto é marcado por muitas fases e cada pessoa encara ou escolhe como encarar esta situação. No meu caso sofri o golpe, me desesperei e quando a ficha caiu me entristeci profundamente. Eu não aceitei, não me conformava de maneira alguma, nada do que me falavam eu aceitava, meu coração escolheu a pior maneira de encarar o luto, não faça isso! Se houver uma fagulha de força agarre-se a ela. Ser forte também é uma missão, precisamos disso para sobreviver. Não estamos e nunca estaremos sozinhos, é muito egoismo achar que perdas acontecem somente com o outro ou que nunca acontecerá conosco, não estou dizendo que é fácil, senti na pele que não é. O que quero dizer é que precisamos escolher viver, seguir em frente, pois por mais duro que seja a vida deve e vai continuar. O meu luto me afetou emocionalmente, pessoalmente e espiritualmente. No emocional eu me encontrava mais triste do que de costume, abalando assim minhas relações com as pessoas e até meu casamento, o contato com meu filho. Pessoal porque você se sente fraco, se acha o mais vulnerável e frágil da terra, começa a se cobrar, isso pode te levar a depressão, não considero que tenha chegado a este ponto, mas a um início. E espiritualmente porque nos afastamos naturalmente de Deus, deixando a nossa fé em último lugar, a verdade é que queremos culpar a Deus e não é assim que funciona. Como podem perceber, muitos conflitos me dominaram e tudo isso se deu num período intenso de exato 1 ano. Eu estava vivo, queria viver, precisava viver e seguir em frente, mas encontrava-se enfraquecido. Nada do que fizesse traria Cris de volta ou mudaria a realidade.

Não desistir de viver seja qual for circunstância é algo muito sério.

Superar uma grande perda não se supera jamais, apenas reaprendemos a viver como acontecem com as cicatrizes.

Deus e as pessoas que amamos que já se foram, jamais desejariam nos ver perdidos, arrasados, derrotados.

Toda essa percepção só chegou ao meu coração com o passar de muitos dias! Nas próximas postagens irei falar de como minha fé se abalou, pensei em desistir de tudo, mas o amor de Deus foi mais forte. Em Jesus encontramos consolo, encontramos paz, as palavras de vida eterna. Sou grato ao Senhor, porque sei que esteve comigo em cada momento me ensinando muitas coisas, me capacitando para hoje ajudar alguém, de alguma maneira. Um dia se Deus quiser estaremos todos juntos de novo, felizes, em abraços que nunca terão fim, a família é um projeto de Deus. Por favor, permaneça firme, escolha viver, amar, seja forte, queira isso e faça isso.

Até a próxima postagem!

E ESTA É A PROMESSA QUE ELE NOS FEZ: A VIDA ETERNA! I JOÃO2:25


Diego Pinto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Luto: "Biel voltou para casa, voltou para o céu!"

Testemunho de cura: MATHEUS PIVATO - 4 ANOS - O SUPERMAN!

Vídeo em homenagem ao meu cunhado Roberto