O CONSUMISMO TEM CONSUMIDO MUITAS VIDAS


“Porque Deus sabe que, no dia em que dele comerdes, se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal. E, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela”. (Gênesis 3.5-6)
Quando observamos o livro de Gênesis, percebemos que o pecado de Adão e Eva foi o consumismo. A palavra ‘comer’ quer dizer ‘consumir’; aparece quatro vezes nos dois versículos acima e 13 vezes nesse capítulo três. Percebemos que Satanás iludiu Eva com a mentira de que, se ela consumisse aquele fruto, seria igual a Deus, ou seja, adquiriria poder, e, por causa disso, até hoje as pessoas associam comprar, ou seja, consumir a ter poder. Assim, as pessoas buscam ter o melhor carro, a melhor casa, as melhores férias, os melhores móveis, as melhores escolas para os filhos, e assim por diante. Compram, compram e compram para se sentirem superiores aos amigos, colegas de trabalho, vizinhos, etc.
“Pois tudo o que há no mundo — a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens — não provém do Pai, mas do mundo”.(1 João 2.16)
Alguém disse o seguinte: CONSUMISMO É…
Comprar o que não precisa, com o dinheiro que não tem, para impressionar pessoas que não conhece, a fim de tentar ser uma pessoa que não é.
PARODIANDO: 
Eva e Adão comeram o que não precisavam,
 com a autorização que não tinham, 
para impressionarem uma “pessoa” que não conheciam (a serpente), 
a fim de tentarem ser pessoas que não eram (Deus).
Com o desejo de posse, ficou instituída a competição motivada pela inveja, em vez da colaboração entre os seres humanos. De um modo geral, as pessoas têm sede de possuir o mundo, de ser donas do mundo. Não é à toa que vivemos numa sociedade chamada “sociedade de consumo”.
“Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem e onde os ladrões arrombam e furtam. Mas acumulem para vocês tesouros nos céus, onde a traça e a ferrugem não destroem e onde os ladrões não arrombam nem furtam. Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração”. (Mateus 6.19-21 NVI)
Dizem que o que nos falta é que nos faz felizes, foi o caso de Adão e Eva, pois tinham tudo, mas quiseram a única coisa que não podiam ter. E, como eles, muitos têm sido consumidos pelo consumismo, na ilusão de serem felizes, de terem poder.
Famílias têm sido consumidas, lares desfeitos porque o cônjuge, ou os cônjuges não têm mais tempo um para o outro e nem para os filhos. Vemos também pessoas com a saúde abalada pelo estresse causado pela incansável busca do sucesso a qualquer custo. Amizades são desfeitas pela inveja, cobiça, e assim por diante.
Infelizmente esse mal contagiou também alguns setores da igreja, e muitos cristãos andam em busca do sucesso em primeiro lugar e o Reino de Deus em segundo, invertendo o que disse Jesus: “Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas serão acrescentadas a vocês” (Mateus 6.33 NVI).
Simultaneamente, alguns líderes religiosos acenam insistentemente com a promessa de sucesso imediato em todas as áreas da vida, especialmente na financeira. Claro que Deus quer nos ver saudáveis e felizes, mas é Ele quem decide quando, onde e como. A cobiça consumista tem graves consequências para nossas vidas, e a primeira delas é nosso distanciamento de Deus, porque quanto mais nos apegamos ao mundo mais nos afastamos do Senhor. Foi o que aconteceu com Adão e Eva, esconderam-se de Deus.
“E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e esconderam-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim”. (Gênesis 3.8-9)
Outra consequência é que o consumismo é como um vírus, e contagia outros. Assim como Eva contagiou Adão, ele consequentemente contagiou toda a humanidade. Aliás, esse é o marketing principal dos alardeadores da teologia da prosperidade, ou seja, exibir alguns que alegam ter alcançado o sucesso, dizendo que, se eles conseguiram, você também pode.
Mas, quando o sucesso não vem, arranjam inúmeras desculpas, e chegam ao cúmulo de culpar até Deus, como fez Adão: “Disse o homem: “Foi a mulher que me deste por companheira que me deu do fruto da árvore, e eu comi” (Gênesis 3.12 NVI).
Finalmente, o amor ao dinheiro pode levar ao afastamento de Deus e da igreja, como ocorreu com Adão e Eva, que foram expulsos do paraíso. É claro que Deus não é contra o nosso sucesso, o que Ele não quer é que o dinheiro tome o lugar dEle nas nossas vidas. Que o dinheiro seja nosso servo e não nosso deus.
Saiba que: “O amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram com muitos sofrimentos” (1 Timóteo 6.10 NVI).
Pense nisso!
:: PR. LÚCIO BARRETO [PAI]

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Luto: "Biel voltou para casa, voltou para o céu!"

Vídeo em homenagem ao meu cunhado Roberto

Novo Logotipo da Igreja do Nazareno - entenda!