Como aconteceu minha tatuagem... discussão sobre o tema!

Foto tirada em 13 de fevereiro de 2017 - Tatuaria Pata de Leão

Hoje quero entrar num campo bem polêmico, mas não para confundir a mente de ninguém, esse nunca foi e nunca será o objetivo do meu blog. Desde que criei esta página em 2009, meu único objetivo foi de alguma maneira, de alguma forma, tocar o coração de alguém. Minha página trás as temáticas cristãs, alguns acontecimentos do meu mundo ou do mundo lá fora, o que acho que seja relevante para publicar, matérias que gosto e que acho que serão do gosto dos leitores. Num mundo de tantas tecnologias e possibilidades, onde ninguém tem mais tempo pra nada, ainda parar para ler algo é uma virtude. E confesso que eu mesmo leio o que me interessa, acho que todos são assim. 

Há 2 meses atrás eu fiz uma tatuagem no meu braço esquerdo, bem próximo ao meu pulso, o símbolo do infinito com os nomes: Lulu e Cris. Você pode estar se perguntando: Mas você não é crente? Você não é um cristão? Como pode ter feito uma tatuagem? Um evangélico? Na sua igreja deixa? O que o pastor disse a respeito? Quero apenas dizer (não me justificando diante de ninguém) que a responsabilidade é inteiramente minha. Antes mesmo de ser cristão, eu sempre achei muito bonito tatuagens e sempre tive vontade de fazer, essa era vontade da minha carne (do velho homem) e não do meu espirito. A verdade é que sempre existirá uma guerra dentro de nós. Não espero que todos compreendam. À luz da Bíblia, se olharmos a Palavra de Deus em Levítico 19:28, observaremos que é pecado lacerar o corpo, imprimir marcas, fazer tatuagens, ou coisas do tipo, lá trata como pecado e sim, acredito que possa ser pecado. Quando decidi fazer minha tatuagem, não consultei a Deus confesso isso a vocês, consultei a minha própria vontade, olhei apenas para o que eu estava sentindo naquele momento e muitas vezes fazemos isso, quantas e quantas vezes deixamos de falar com Deus sobre o que estamos sentindo? E independentes tomamos as decisões sozinhos, quando você não ora está tomando decisões sozinho. Vaidade de vaidade, tudo é vaidade, tatuagens são vaidade. Olhei para minha vaidade e fiz, não para ficar mais bonito, não por uma moda qualquer, não para me sentir aceito por ninguém, fiz com sentimento em meu coração de que estaria prestando uma linda homenagem aos irmãos, só pensava neles e no amor que sinto por eles. Aquela sensação de agulhadas que foi tão suportável e mais parecia uma queimação, não foi maior do que a dor do meu coração em perdê-los. A vontade de fazer veio de uma forma que não consegui conter, talvez minha carne mais alimentada do que o espírito? Talvez. Fiz e não me arrependo, quem sabe um dia eu venha a me arrepender. Porque não consigo enxergar onde está a maldade do meu ato. Acho horrível pessoas com quase 100% do corpo tatuado, pessoas que transformam todo o seu corpo, que querem ser outra coisa, abrir mão de ser uma pessoa, há sempre intenções por trás do que fazemos, sejam boas ou más. Acredito que tudo na vida tenha de ter um limite, não espero que ninguém concorde comigo. Vivi anos dentro da igreja e já vi pessoas com o corpo aparentemente limpo, sem marcas, sem tatuagens, mas com um coração escuro, se pudéssemos enxergar o interior dessas pessoas nos assustaríamos e quantas ainda estão assim, podres por dentro, Jesus nos advertiu quanto aos lobos em peles de cordeiros. Jesus nunca faria uma tatuagem, as marcas que Ele levou sobre o seu corpo não foram de sua própria vontade, porque Ele quis sofrer. Ele simplesmente se doou por uma missão muito maior, se entregou numa cruz e sofreu muito naquele momento. É fácil condenar, apontar o dedo na cara, mas é muito difícil olhar para dentro de si, de nós, para os próprios atos e ver se tudo o que se vive está realmente em conformidade com a Bíblia, com a Palavra de Deus. Não há um justo, nem um sequer. Você já leu Levítico 19 inteiro? Já viu quantos mandamentos existem naquele contexto? Será que obedecemos a todos eles? Obedecemos a todas as palavras de Jesus no novo mandamento? Deveríamos. Amamos de fato o próximo como a nós mesmos? É correto tingir os cabelos? Não deveria eles ter suas cores naturais? É correto furar as orelhas e colocar brincos? Ter cabelos curtos ou grandes? Ter barba ou não ter? E a forma de vestir? Para quem nos vestirmos?  Mentimos? Omitimos? Levamos o Evangelho? Temos uma real vida de santidade ao Senhor? Damos a outra face quando alguém nos bate? Amamos o estuprador, o homicida, o político ladrão? Eu poderia ficar aqui por horas fazendo muitas e muitas perguntas para mim mesmo. Mas prefiro crer que o amor de Deus está muito além das nossas fraquezas, eu acredito que amor de Deus supera toda religiosidade, que a sua misericórdia e justiça se renovam a cada manhã. Posso ter pecado, posso até ter cometido um erro, mas isto é comigo e com meu Pai, Ele me julgará. 

Cris tinha algumas tatuagens e gostava muito delas, meu irmão era vaidoso e lindo, por dentro e por fora, mas na caminhada fez escolhas erradas que o levaram a sofrer. Minha irmã sempre teve vontade de fazer, mas não tinha coragem, eu criei essa coragem por ela. E achei que ficou linda particularmente. Um dia esse corpo velho e corruptível vai pra debaixo da terra, meu corpo voltará ao pó e quando o Senhor ressuscitar meu corpo de novo, se esta marca estará ou não comigo, Deus é que sabe. Não me importo muito com isso. Em Coríntios 15 diz que seremos transformados, pois carne e sangue não herdarão o reino dos céus. O nosso corpo é templo do Espírito Santo, Ele habita em nós e creio que o Espírito não olha a aparência para habitar, basta querermos, desejarmos isso. O Espírito também não pode habitar em quem vive pecando, então nossa luta contra o pecado e contra nós mesmos, nunca acaba, é diária até o dia em que Jesus voltar. Que sejamos conscientes de todas as nossas atitudes, que voltemos os nossos olhos e nossa fé para o Autor da Vida. Tenho aprendido coisas que nunca imaginei antes e visto situações que nunca pensei.

Não se escandalizem com minha palavras, não estou aqui defendendo tatuagens ou apoiando, ou dizendo que é certo, estou compartilhando minha experiência pessoal, falando de como surgiu a minha vontade e que fiz sabendo o que estava fazendo. Eu não achar que tenha feito algo errado, não quer dizer que esteja certo, não é o tipo de coisa que Deus espera de nós, não são estes sacrifícios que o Pai espera de nós, Ele quer curar o nosso coração, apenas isso. Por outro lado, não acho certo apontarmos o dedo, acusar, sentenciar quem quer que seja, pois tem muitos falsos "santos" por aí, esperando uma oportunidade apenas para arrotar toda a sua "santidade de amargura". Não é o que quero para o meu filho, não é a principal herança que quero deixar para ele; o Pai sempre nos vê como eternos bebês.

Pai independente de qualquer coisa, eu te amo Papai! 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

LUTO: Neuza Garcia... Jesus vive! Você também vive!

Testemunho de cura: MATHEUS PIVATO - 4 ANOS - O SUPERMAN!

Corrente de Oração: Ycaro Gabriel - guerreiro lindo!